Por que os juristas deveriam estudar Economia? Por que os economistas deveriam estudar Direito?

Por que os juristas deveriam estudar Economia? Por que os economistas deveriam estudar Direito?

23 de novembro de 2016  5 By 0 Comments

Robert Cooter e Thomas Ulen respondem, no livro Law and Economics, as duas perguntas que a maioria das pessoas que se defrontam com o título Direito & Economia pela primeira vez se fazem. Por que os juristas deveriam estudar Economia? Por que os economistas deveriam estudar direito?

Eu mesmo me deparei com essas questões há 13 anos quando resolvi que queria me tornar um especialista em Economia do Crime. A seguir exponho a tradução de dois parágrafos desse livro com o intuito de esclarecer o que ambos os profissionais – economistas e juristas – podem aprender fazendo o Curso de Especialização em Direito & Economia da Unicamp (Modalidade Extensão Universitária).

“A Análise Econômica do Direto une duas grandes áreas e facilita a compreensão de cada uma delas. Você provavelmente pensa em Direito como promotor de justiça; de fato, muitas pessoas pensam assim. A Economia concebe leis como incentivos para mudar comportamento (preços implícitos) e como instrumentos para objetivos políticos (eficiência e distribuição). No entanto, muitas vezes as análises econômicas desconsideram as instituições jurídicas, como a propriedade e o contrato, as quais afetam drasticamente a economia. Assim, diferenças nas leis fazem com que os mercados de capitais sejam diferentes no Japão, na Alemanha e nos Estados Unidos. As falhas nas leis financeiras e de contratos contribuíram para o colapso do sistema bancário de 2008 nos Estados Unidos e para a recessão em seguida, a qual foi menos severa no Japão e na Alemanha. Ademais, a ausência de propriedade segura e de contratos confiáveis paralisa as economias de alguns países pobres. Melhorar a efetividade da lei em países pobres é importante para o seu desenvolvimento econômico. O Direito precisa da Economia para entender suas consequências comportamentais, e a Economia precisa do Direito para entender os fundamentos dos mercados. Economistas e juristas também podem compartilhar técnicas entre si. Dos economistas, os juristas podem aprender raciocínios quantitativos para desenvolver teorias e fazer pesquisas empíricas. Dos juristas, os economistas podem aprender a persuadir pessoas comuns – uma arte que os advogados praticam e aperfeiçoam continuamente. Advogados podem descrever fatos e dar-lhes nomes com ressonância moral, enquanto que os economistas são menos habilidosos com a língua culta. Se economistas ouvirem o que o Direito tem para ensiná-los, eles aproximarão os seus modelos do que realmente importa as pessoas.” (Cooter e Ulen, 2012, p. 9).

Acesse o site de divulgação do curso e faça a sua inscrição saindo na frente nesta promissora área interdisciplinar.

Referência
Cooter, Robert and Ulen, Thomas.”Law and Economics, 6th edition” (2016). Berkeley Law Books. Disponível em

Related Posts

Deixe uma resposta